sábado, 29 de outubro de 2016

AO MEU FILHO

Ó Filho, há em ti um Pai
Creia em ti mesmo e vai!

Não sou o teu teto
Nem céu de Urano
Não sou o Rei do mar
Tu haverás de navegar
Como um só Ser Solar

Não serei teu fim
Nem um caminho
Jamais um ninho
Não há casa em mim
Não fui nem mesmo o teu começo
Livrei-me de regurgitar Saturnesco

Através da vida
Passastes por mim
Para que ela seja além
Onde eu estarei aquém
Assim, por meio de ti,
Renasci livre, enfim
Destarte, não serei teu senhor
Pois tu foras gerado no amor...

Vamos brincar, somos infantes
Celebremos a vida, um hino
Dai-lhe teus passos seguintes
Ouve a canção, querido filho!
Pois só o teu singular caminho 
É o meu verdadeiro descanso...


Nenhum comentário:

Postar um comentário